#O CADERNO DE Belén Moneo

Belén Moneo Feduchi - Moneo Brock Studio - Madrid, España
Las Termas de Tiberio em Panticosa, Espacio Fundación Telefónica em Madrid, Bosque de Acero em Cuenca e o Northwest Corner Building da Universidade de Columbia em Nova Iorque.

1 – Quem é Belén Moneo?

Uma arquiteta espanhola com vocação de viajante.

2 – Quando descobriu que queria ser arquiteta?

Quando compreendi que o poderia fazer bem e venci as minhas dúvidas.

3 – Uma referência na arquitetura…

Uma mulher japonesa: Kazuyo Sejima.

4 – Se não fosse arquiteta, ter-se-ia dedicado a…

Uma outra arte plástica.

5 – Um defeito e uma virtude.

Sou uma pessoa exigente.

6 – Como é a sua casa?

Uma composição de elementos que incluem necessariamente vegetação, luz natural, tranquilidade, cor e design.

7 – O domingo é o dia para ……

Fazer excursões e estar na natureza, longe da cidade.

8 – Um lugar onde procure inspiração.

Onde menos se espera. Em nenhum local em particular e em todos ao mesmo tempo.

9 – Qual foi o último livro que leu?

Doble esplendor, uma memória muito pessoal sobre a Guerra Civil Espanhola, um grande relato de Constancia de la Mora; recomendo-o vivamente.

10 – Dentro de 15 anos……

Gostaria de trabalhar mais em Espanha e viajar menos. Isso significaria também que o país estaria a atravessar um melhor momento. Espero continuar a trabalhar no que gosto, já que a nossa área é muito ampla e variada, incluindo todos os aspetos relacionados com a manipulação do espaço: arquitetura, urbanismo, paisagismo e design. Nunca nos aborrecemos.

11 – Quando pensa em arquitetura, o que lhe vem à cabeça…

Como transformar as cidades para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes.

12 – Lápis ou computador?

Trabalho com ambos. Pessoalmente, utilizo o lápis, mas a utilização do computador ajuda-me muitíssimo no trabalho. Todavia, é necessário aprender a utilizá-lo bem. Com o computador, é mais fácil agilizar o processo de desenvolvimento do projeto pois os desenhos podem parecer terminados muito rapidamente. E é necessário compreender que necessitam de mais desenvolvimento. Há que duvidar do processo e planear diferentes versões, e isso é mais fácil com o lápis.

13 – Como definiria o seu trabalho?

É um processo em que, sem uma ideia preconcebida, são analisadas as circunstâncias até encontrar uma solução única que combine a resolução do espaço com os outros elementos fundamentais, tais como o programa do projeto ou a sua inserção num contexto singular, seja ele natural ou urbano.

Por outras palavras, as próprias circunstâncias da situação específica e a análise das mesmas geram a arquitetura, na qual o espaço é um elemento plástico que ocasionalmente, através da estrutura, cobra um valor expressivo.

14 – Um projeto que gostaria de fazer.

Um que envolva planeamento urbano.

15 – A sua opinião da arquitetura espanhola.

Apesar da crise, a arquitetura espanhola atravessa um bom momento e conta com um grande número de profissionais. Creio que, em conjunto com a japonesa e a portuguesa, é uma das melhores atualmente.

16 – Como manter um estilo próprio, satisfazendo as necessidades dos seus clientes?

Em primeiro lugar, compreendendo bem o cliente e as suas necessidades. A partir daí, ganhando a sua confiança e convencendo-o de que, na qualidade de arquitetos, estamos a zelar pelos seus interesses. Definitivamente, com uma boa comunicação e uma proposta sedutora.

17 – Em arquitetura, o que faz melhor e o que lhe custa mais?

Não sei o que faço melhor, mas desde já o que mais me diverte é a parte criativa, embora muitas vezes custe chegar a uma solução satisfatória. A pate do trabalho que mais me aborrece é aquela mais alheia à arquitetura, ou seja, as questões administrativas e organizativas próprias de uma pequena empresa. Aquelas de que ninguém nos fala e não ensinam na escola.

18 – A sua receita para o êxito.

Não a tenho…mas seguramente que trabalhar com rigor é um dos ingredientes.

19 – Que papel desempenham os produtos naturais nos seus projetos?

Um papel fundamental, pois no nosso trabalho parece-nos importante enfatizar as características intrínsecas de cada material, tanto ao nível da arquitetura como do design de produtos.

20 – O seu produto-estrela da L’Antic Colonial é…

O revestimento de casa de banho Tailor Blanco Andes Rombos.

Enviar um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Would you
like us
to inspire your
interior space?

 Professional Individual